Câmara do Cadaval com orçamento de 12,1 milhões de euros para 2019

Escrito por a 6 Novembro, 2018

A Câmara do Cadaval, no distrito de Lisboa, vai contar com um orçamento de 12,1 milhões de euros para 2019, segundo o documento a que a agência Lusa teve hoje acesso.

O maior investimento para 2019 é o projeto de requalificação das antigas oficinais e zona envolvente, orçado em 1,1 milhões de euros, dos quais cerca de um milhão de euros está cabimentado no orçamento.

A autarquia quer também investir 1,5 milhões de euros a construir ciclovias e percursos pedonais na sede do concelho, Casal Cabreiro/Chão de Sapo e Painho/Alguber, para os quais não tem financiamento definido para 2019, assim como beneficiar os existentes (800 mil euros, com 400 mil inscritos para 2019).

A autarquia aposta também em obras de modernização da Escola Secundária do Cadaval (450 mil euros, com 227 mil euros inscritos para 2019) e da rede de saneamento, sobretudo no Cadaval e no Vilar (600 mil euros, com 300 mil previstos para 2019), bem como na construção do canil intermunicipal, para a qual tem previsto para 2019 o investimento total de 425 mil euros.

O orçamento de 12,1 milhões de euros é superior em cerca de 200 mil euros ao de 2018.

Apesar de prever mais encargos com pessoal, devido à subida do salário mínimo e ao descongelamento das carreiras, a autarquia prevê fazer mais investimento, com uma subida, por exemplo, de 3,4 para 3,7 milhões de euros das despesas de capital.

Para tal, contribui o aumento previsível das receitas dos impostos diretos (de 1,9 para 2,1 milhões de euros), apesar de manter as taxas inalteradas pelo sexto ano consecutivo.

A taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) volta a ser de 0,375% – o limite mínimo legal é de 0,3 e o máximo 0,45% -, com descontos para famílias com dependentes, enquanto a participação no IRS é de 4%.

O orçamento e os impostos foram aprovados pela maioria social-democrata, com os votos contra dos vereadores do PS.

Em nota de imprensa, os socialistas consideraram que se trata de um “orçamento que se limita a navegar à vista, não contemplando quaisquer medidas significativas de apoio às populações ao nível da educação, saúde ou apoio aos idosos, nem cria condições para a resolução definitiva dos problemas básicos das populações”.

Já em relação aos impostos, o PS defendeu que, sem reduzir a receita, “haveria folga” para baixar o IMI e a participação do município na arrecadação de IRS, devolvendo mais dinheiro às famílias.

O orçamento de 12,1 milhões de euros, que serve uma população de cerca de 14 mil habitantes, vai ser ainda sujeito à votação na assembleia municipal, onde o PSD também tem maioria.

FYC // MLS

Lusa


Opinião do leitor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Vida Fm

Arruda dos Vinhos

Current track
TITLE
ARTIST